quinta-feira, 19 de abril de 2018

Maxillaria sanderiana var. xanthina

A Maxillaria sanderiana var. xanthina é uma variedade muito rara desta espécie. Mantendo as mesmas formas, tamanho e texturas da espécie tipo, difere, contudo, no seu belo e invulgar colorido, o que a torna uma espécie apetecível para qualquer colecionador.

Família: Orchidaceae      Género: Maxillaria     Espécie: sanderiana    var. xanthina

Habitat natural: Espécie que tanto se pode desenvolver como planta epífita, como litófila e como terrestre, em montanhas de altitude média, sendo esta variedade proveniente do Equador, podendo também encontrar-se no Peru.




Cultivo: Enquanto a espécie tipo suporta temperaturas bem frias, esta variedade requer ambientes ligeiramente mais quentes, estando a ser cultivada na minha estufa aquecida.
O ambiente de cultivo é bem sombreado (nunca devendo receber sol direto), com elevado teor de humidade do ar e boa ventilação.
Deverá ser cultivada em cesto suspenso, perfurado, de média dimensão, sendo uma planta que atinge portes consideráveis.
O substrato é uma mistura à base de casca de pinheiro média e fina (70 %-Orchiata), argila expandida (20%) e perlite (10%). As percentagens são meramente indicativas.
Rego de forma a manter o substrato sempre húmido, adequando estas a cada estação do ano, nunca deixando secar totalmente entre regas.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma duas vezes por semana, sempre com metade da dose indicada pelo fornecedor, para cada litro de água. Durante o Inverno suspendo as fertilizações.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Cattleya longipes x Cattleya ghillanyi




Adquiri esta planta há cerca de dois anos atrás como sendo um híbrido primário entre a Cattleya longipes e a Cattleya ghillanyi. Não tendo a certeza absoluta se a identificação está devidamente correta, constato, contudo, ser um belíssimo híbrido; de belo colorido, boa forma e inflorescências multiflorais bem compostas.

É cultivada montada numa pequena placa de madeira, nas mesmas condições ambientais de todas as outras plantas do género Cattleya: estufa temperada quente, boa luminosidade, mas sem sol direto, boa ventilação e elevado teor de humidade do ar.

quarta-feira, 28 de março de 2018

Cymbidium wenshanense

Cymbidium wenshanense é uma espécies mais raras deste género, sendo uma planta de médio porte, com flores lindíssimas, exóticas e bem perfumadas. É difícil de encontrar nos mais diversificados circuitos comerciais para orquidófilos, podendo ter a sorte de ser observada numa ou noutra exposição europeia.

Família: Orchidaceae        Género: Cymbidium        Espécie: wenshanense

Habitat natural: É uma espécie que geralmente se manifesta de forma epífita, em árvores de florestas entre os 1000 e os 1500 metros de altitude, em Yunnan, província da China e no Norte do Vietname.




Cultivo: É cultivado todo o ano na estufa fria, onde as temperaturas descem até aos dois a três graus, em local mediamente sombreado, nunca recebendo sol direto. O ambiente de cultivo é bem ventilado e com elevado teor de humidade de ar. 
Utilizo um vaso alto e estreito e um substrato à base de casca de pinheiro média e fina (cerca de 70%), argila expandida (cerca de 20%) e perlite (cerca de 10%). Estas percentagens são meramente indicativas.
A periodicidade das regas deve ser a necessária para manter o substrato apenas húmido, não sendo conveniente deixar secar por períodos prolongados de tempo.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com doses pouco concentradas (metade da dose indicada pelo fornecedor, para cada litro de água). No Inverno suspendo as fertilizações.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quarta-feira, 14 de março de 2018

Maxillaria oreocharis

A Maxillaria oreocharis é uma espécie de pequeno  a médio porte, de crescimento ascendente, composta por pequenos  pseudobulbos lateralmente achatados, trazendo no seu ápice uma única folha, linear lanceolada. Como é típico deste género, as inflorescências são solitárias, com pequenas  flores belamente coloridas, de cerca de 3 cm.

Família: Orchidaceae        Género: Maxillaria        Espécie: oreocharis

Habitat natural: Espécie epífita, que se desenvolve em florestas montanhosas, chuvosas e húmidas, de média e baixa altitude, entre os 100 e os 1100 metros. É  nativa de países como a Costa Rica, a Nicarágua e o Panamá.




Cultivo: É cultivada todo o ano na estufa temperada quente, em local mediamente sombreado, com boa ventilação e elevado teor de humidade do ar. A planta está montada numa pequena placa de cortiça, com alguma fibra de coco a envolver as raízes. Opcionalmente, também poderá ser cultivada em vaso.
Como é cultivada em placa, as regas devem ser frequentes e abundantes, quase diárias nas estações mais quentes e secas do ano. No Inverno reduzir as regas, mas manter uma certa periocidade das mesmas, para não deixar desidratar a planta.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, com cerca de metade, ou menos de metade da dose indicada pelo fornecedor/fabricante, por cada litro de água aplicado. No Inverno deixo de fertilizar.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

WCSP (2018) 'World Checklist of Selected Plant Families'. Facilitated by the Royal Botanic Gardens, Kew. Published on the Internet; http://wcsp.science.kew.org/ Retrieved 14 March 2018

quarta-feira, 7 de março de 2018

Cattleya mantiqueirae

A Cattleya mantiqueirae é mais uma espécie que é mais conhecida, nos meios orquidófilos, pelo seu sinónimo Sophronitis mantiqueirae. Esta espécie apresenta algumas semelhanças com a Cattleya coccinea, sendo contudo uma planta ligeiramente menor e com algumas diferenças na estrutura do labelo e das restantes pétalas e sépalas. 
São plantas de pequeno porte, com pseudobulbos longos, fusiformes ou elipsoides, com uma única folha no ápice destes, de consistência coriácea, ovalada lanceolada, de cor verde escura na face superior e avermelhada na face posterior. As suas inflorescências são solitárias e com um porte geralmente compreendido entre os 4  e os 5 cm.

Família: Orchidaceae        Género: Cattleya        Espécie: mantiqueirae

Habitat natural: Espécie que, no seu habitat natural, se desenvolve como planta epífita, geralmente em árvores cobertas de líquenes ou de musgos, no Sul e Sudeste do Brasil, em altitudes que podem oscilar entre os 1200 e os 1900 metros.




Cultivo: Cultivo esta espécie montada numa pequena placa de cortiça, na estufa fria, ao logo de todo o ano e onde as temperaturas descem, por vezes, até aos 3 a 4 graus centígrados. O ambiente de cultivo é sempre moderadamente sombreado, bem ventilado e com elevador teor de humidade do ar.
Com este tipo de cultivo, rego com frequência nas estações mais quentes e secas do ano (Primavera, Verão e parte do Outono), geralmente em dias alternados. No Inverno, sobretudo quando o tempo vai frio e chuvoso, reduzo drasticamente as regas, mantendo apenas as necessárias para não deixar desidratar a planta.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, uma a duas vezes por semana, sempre com metade da dose indicada pelo fornecedor para cada litro de água. Durante o Inverno suspendo as fertilizações.


Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

WCSP (2018). 'World Checklist of Selected Plant Families. Facilitated by the Royal Botanic Gardens, Kew. Published on the Internet; http://wcsp.science.kew.org/ Retrieved 7 March 2018.'

sexta-feira, 2 de março de 2018

À Volta das Orquídeas 8

À Volta das Orquídeas é um evento organizado anualmente pela AOSP - Associação de Orquídeas Silvestres - Portugal, em diferentes partes do país, com a finalidade de dar a conhecer e sensibilizar para diferentes temáticas relacionadas com o ambiente e a proteção ambiental, com especial destaque para as orquídeas silvestres existentes em Portugal. Parte do evento é aberto ao público em geral, reservando-se as saídas de campo exclusivamente para associados.

Este ano já vai na sua 8ª edição e, desta feita, realizar-se-á no Concelho de Vila Viçosa - Alentejo, nas instalações da Escola Secundária Públia Hortênsia de Castro.


quinta-feira, 1 de março de 2018

9ª Exposição/Venda Internacional de Orquídeas do Porto


A 9ª Exposição/Venda Internacional de Orquídeas do Porto pode ser visitada nos dias 16, 17, e 18 de Março 2018, na EXPONOR, em Leça da Palmeira - Matosinhos

A entrada tem um custo de 3,00€ por pessoa, sendo gratuita para todos os sócios da A.P.O. com as quotas em dia.

Expositores: Consultar - http://www.lusorquideas.com/

Horário:  Todos os dias das 10h  às 19h

EXPONOR - Feira Internacional do Porto, Av Dr António macedo, 574 - Leça da Palmeira, 4454-515 - Matosinhos - Portugal